domingo, 26 de dezembro de 2010

Religião... uma salvação?

Depois de mais 4 meses, volto a escrever no blog!

Bom, antes de mais nada deixe-me fazer alguma considerações:

1- eu acredito, e muito, em Deus, tenho religião, mas não sou obrigado a concordar com tudo!
2- leia com atenção que saberão que não estarei cometendo nenhum crime hediondo.

Há tempos venho percebendo o quanto uma religião pode influenciar, não apenas uma pessoa, mas uma nação inteira, assim como gerações e + gerações de pessoas de todas as formas!

Obviamente, influencia pelo lado positivo, mas ando reparando como ela anda influenciando de maneira negativa e como religião virou mais algo para conquistar “clientes” do que fiéis!

Não entendo porque as religiões cristãs, por exemplo, tem todas um livro em comum, a bíblia e divergem tanto em sua interpretação!

Gostaria de saber, por exemplo, porque na idade média as religiões pregavam ou alegavam interpretar da bíblia, que negros e índios, por exemplo, não tinham alma!
Porque ela condenava as pessoas para ir para a fogueira, principalmente as mulheres, por serem “diferentes”!

Hoje em dia, algumas religiões não falam com estas palavras, mas faz a mesma coisa com os homossexuais ou contra os “promíscuos”!
E ninguém fala nada!
Pelo que eu saiba, Deus, Jesus fala para pregar o bem, amar o próximo, doar para o próximo!
Não vejo nada com disseminar o preconceito!

Depois, de nada vai adiantar as religiões emitirem uma nota depois de 300 anos pedindo desculpas pelos crimes que ela cometeu hoje!

Como ela fez com as atrocidades que ela cometia na idade média!

Não entra na minha cabeça porque muitas religiões pregam de maneira a você não viver COM Deus, mas viver com MEDO dele!

Muita delas não aceitam que se use a camisinha, porque muita delas julga o sexo como algo sujo e impuro!

Muitas condenam a morte, mas nem desconfiam que com os seus dogmas rígidos e, muitas vezes, ultrapassados, acabam por cometer verdadeiros genocídios indiretos!

Se um religioso, como um padre da Canção nova, condena o homossexualismo, dizendo que tal candidato se eleito permitiria o casamento entre homossexuais e que ele não ia compactuar com “tamanha vergonha” e que isso seria o fim dos tempos! Não o chamam de louco, mas se um cara se matar e matar a várias pessoas, por ordens de algum Deus, ele será chamado de louco e psicótico!

Mostrem-me a diferença do padre para o suicida religioso, por favor?

Quando um padre fala isso em rede nacional, ele está disseminando DIRETAMENTE o preconceito e ódio contra os homossexuais!

Depois quando aparece um SkinHead socando um Gay com soco inglês não adianta ele ou outros que compactuam com o que ele disse falarem “este não entrará no reino de Deus”, porém, aposto e ganho que muitos que “pregam o bem” ou que se dizem “religiosos” quando vê uma notícia de um gay sendo espancado, capaz de dizer “também, olha o jeito que ele anda. Ele pediu para isso”. Claro, qualquer um pede “quero ser espancando, por favor, me soque”!

Muitos, ao lerem tal texto, poderão pensar que sou gay, porque defendo os gays da homofobia. Afinal, se você é contra a homofobia, para os religiosos ou outros, você só pode ser gay! Claro!

Muitos condenam o preconceito, mas não olham que muito dele é disseminado pelas religiões que dizem que gay não está certo, usar camisinha é errado, sexo é algo impuro!

Como disse no início, acredito em Deus e muito!
Ainda tenho uma religião, Ainda... se tudo continuar assim, não sei até quando...

Um comentário:

Diego Fernandes disse...

Bom texto, questões que poderíamos responder até, mas a falta de coerência nas ações para manobra de massa fazem com que agente perca a vontade de entrar nessa bagunça que virou o uso da fé alheia para benefício próprio ou de classes.